UATU – OPEN UNIVERSITY OF GOOD TIME

A NETWORK OF KNOWLEDGE SHARED

UATU – UNIVERSIDAD ABIERTA DE BUEN TIEMPO

UNA RED DE CONOCIMIENTO COMPARTIDO

Edi Sartori [1]

 

RESUMO: Com o objetivo de discorrer sobre o impacto de um programa de extensão em educação continuada na vida do idoso, foi escolhido o Programa de Inclusão Social denominado Universidade Aberta do Tempo Útil, oferecido pela Universidade Presbiteriana Mackenzie/SP, que tem como principais objetivos: proporcionar atividades educacionais voltadas à atualização e à aquisição de conhecimento em diversas áreas do saber; desenvolver habilidades socioculturais, privilegiando a alegria e o prazer da convivência com a cultura, e promover a integração do idoso nos vários segmentos da sociedade. A pesquisa configurou-se como uma ação “isolada”, inovando a pesquisa e apresentando uma realidade pouco explorada e difundida, na qual o interesse restringe-se a demandas específicas e direcionadas ao interesse da medicina, afastando outras possibilidades que complementem a melhoria da qualidade de vida da população e a educação, especialmente dos idosos.

Palavras-chave: educação continuada – idoso – qualidade de vida

SUMMARY: In order to discuss the impact of an outreach program in continuing education in the lives of the elderly, was chosen the Social Inclusion Program called Open University Time Useful offered by Mackenzie University / SP, which has as its main objectives : provide educational activities aimed at upgrading and acquisition of knowledge in various areas of knowledge, developing skills sociocultural, favoring the joy and pleasure of living with culture, and promote the integration of the elderly in the various segments of society. The survey was configured as an action “isolated”, innovating research and presenting a reality underexplored and widespread, in which the interest is restricted to specific demands and directed the interest of medicine, excluding other possibilities that complement the quality improvement of living and education, particularly the elderly.

Keywords: continuing education – elderly – quality of life

RESUMEN: Con el fin de discutir el impacto de un programa de extensión en la educación continua en la vida de las personas de edad, fue elegido el Programa de Inclusión Social llamado Open Tiempo Útil ofrecido por la Universidad Mackenzie University / SP, que tiene como objetivos principales : proporcionar actividades educativas destinadas a la mejora y adquisición de conocimientos en diversas áreas del conocimiento, el desarrollo de habilidades socio-culturales, favoreciendo la alegría y el placer de vivir con la cultura, y promover la integración de las personas mayores en los diversos segmentos de la sociedad. El estudio se ha configurado como una acción “aislado”, innovando investigación y presentar una realidad inexplorada y extendida, en la que el interés se limita a las demandas específicas y dirigido el interés de la medicina, con exclusión de otras posibilidades que complementan la mejora de la calidad de vida y la educación, en particular a los ancianos.

Palabras clave: Educación Continua – ancianos – Calidad de vida

INTRODUÇÃO

Nas últimas duas décadas, observamos um aumento da população idosa. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o período de 1975 a 2015 será lembrado pela “Era do Envelhecimento”. O mundo terá mais de “2 bilhões de pessoas com mais de 60 anos em 2050 – e 80% delas estarão nos países em desenvolvimento”, Esse fato se deve, principalmente, ao controle da natalidade e ao aumento da expectativa de vida (LEME, 1997).

Neste trabalho contrariamos o que até então era visto com preconceito. Apresentamos uma geração de cabelos brancos, incansável, que viaja, tem sua independência, diverte-se, estuda, namora a apresenta mudanças significativas no comportamento, demonstrando que essa nova fase da vida deve ser deve ser vivida com intensidade, aproveitada como as outras fases e que a alma ainda é jovem, dando espaço à qualidade de vida, à felicidade, ao entusiasmo de viver.

Segundo Néri (2001, p. 7), “durante o século XX, por mais de 50 anos, a gerontologia considerou o envelhecimento como a antítese do desenvolvimento.” Hoje, ainda de acordo com a mesma autora, a gerontologia “ocupa um lugar de destaque entre as várias disciplinas científicas (…), é considerada como campo multifuncional, pois considera a educação parte integrante da última etapa da vida”.[2]

O desenvolvimento do ser humano deve ser constante e contínuo, por isso estudos sobre a nova fase da vida, idosos ou velhos, vêm ganhando espaço e destaque no mundo todo, não só nos domínios da vida privada, como também em espaços públicos.

Neste trabalho entende-se como idoso a pessoa que representa de forma estereotipada as condições e as circunstâncias que envolvem a velhice, ou seja, é o indivíduo que possui suas habilidades reduzidas, seja nos reflexos, seja na capacidade visual, auditiva, a pele enrugada e dificuldade de locomoção devido a doenças biológicas.

OBJETIVOS: (1) Apontar as principais contribuições feitas pelos estudos recentes na área. (2) Identificar e caracterizar na legislação brasileira as normativas voltadas para o idoso. (3) Descrever os principais aspectos cognitivos, afetivos e sociais observados nas representações elaboradas pelos próprios sujeitos. (4) Analisar, a partir dessas representações, quais as alterações sociais, políticas e econômicas que essa nova fase da vida propõe.

Os objetivos nos propiciaram a compreensão dos vários aspectos que implicam a mudança de comportamento do idoso ao frequentar o programa de educação continuada.

METODOLOGIA: A metodologia utilizada neste trabalho foi a pesquisa de campo, de caráter descritivo, com análise qualitativa exploratória.

Onde, os fenômenos estudados privilegiaram o discurso dos participantes dos cursos oferecidos pela Universidade Aberta do Tempo Útil (UATU), com o intuito de observar os benefícios trazidos aos alunos pela universidade e pelas relações interpessoais de aspectos cognitivos, afetivos e sociais.

A pesquisa de campo realizada na UATU/UPM partiu de um levantamento bibliográfico e exigiu a determinação das técnicas de coletas de dados mais apropriadas à natureza do tema, para que pudéssemos realizar a análise, pois uma pesquisa é sempre empreendida por um sujeito cujo olhar deve vasculhar lugares já visitados, mas com um modo diferente de olhar e pensar, partindo de uma experiência e de uma apropriação do conhecimento bastante pessoal.

Minayo (1994, p. 21-22) reforça a pesquisa qualitativa pelo fato de responder a questões muito particulares, preocupando-se “com um nível de realidade que não pode ser quantificado”, além de investigar o “[…] universo de significados, motivos, aspirações, crenças, valores e atitudes”, destacando com isso a exclusividade dos participantes.

Esta pesquisa tem como objetivo contribuir para a construção de novos conhecimentos, abordando relações valiosas nas diversas situações sociais, educacionais, como a importância da Universidade para a terceira idade, a família, o aumento populacional do idoso, os aspectos demográficos, sociais, biológicos, intelectuais, bem como as mudanças comportamentais diante da sociedade, tecendo relações com a educação continuada no Programa de Inclusão Social de Educação Continuada do Tempo Útil.

O objetivo principal da realização desta pesquisa qualitativa foi o de compreender os vários aspectos que implicam a mudança de comportamento do idoso ao frequentar o programa de educação continuada, a fim de realizar um trabalho teórico que não estivesse distanciado da realidade e com a finalidade de contribuir para futuros estudos no campo da velhice e na educação continuada.

Através dessa pesquisa, somamos esforços no sentido de conseguir atrelar a produção de conhecimento e os relacionamentos interpessoais à realidade vivida pelos participantes da terceira idade na universidade.

Debert (1988) assinala que, ao utilizarmos histórias de vida, estamos possibilitando o estabelecimento de um diálogo entre informante e analista, sendo que o primeiro nos fornece novas dimensões sobre o objeto de análise, para que assim possamos reformular pressupostos e hipóteses sobre determinado assunto.

RESULTADOS:

A pesquisa ocorreu na Universidade Presbiteriana Mackenzie, localizada na cidade de São Paulo/SP-Brasil. Uma universidade comunitária confessional, que valoriza a participação da comunidade e dialoga com ela.

De acordo com o levantamento bibliográfico que fundamentou o estudo ora apresentado e com a análise das entrevistas que complementaram a especificidade desse estudo dos idosos na Universidade Aberta, enquanto programa de extensão vinculado à Universidade Presbiteriana Mackenzie/SP, pode-se dizer que os idosos fazem parte de um segmento heterogêneo, que se configura como um tema complexo na contemporaneidade.

O fato de trabalharmos com um grupo seleto de sujeitos em tempo integral nos permitiu, inclusive, participar das atividades que eles frequentam, observando-os, conversando e dialogando com os professores e a coordenadora, não somente de maneira sistemática, como também de maneira informal. Assim, pudemos analisar profundamente suas apresentações, suas falas e conhecermos um pouco melhor a riqueza e o impacto que este programa tem em suas vidas.

Algumas observações foram possíveis a partir da participação da pesquisadora/autora, por um período de seis meses, nas atividades que eram colocadas para os alunos, bem como foram observados poucos estudos sistemáticos dedicados à área da educação continuada e sua relação com o idoso foram desenvolvidos, o que indica a necessidade de aprofundamento do tema.

Inovação e criação são os fatores necessários e indispensáveis para que a universidade, seja ela qual for, especialmente aquela que se dedica a atender a comunidade e tem sua missão voltada à educação, se torne excelência na área, exemplo para as demais, continue crescendo e especialmente continue atendendo à população de idosos que vem aumentando a olhos vistos, ano após ano, no país e no mundo.

Também observamos que poucos estudos sistemáticos dedicados à área da educação continuada e sua relação com o idoso foram desenvolvidos, o que indica a necessidade de aprofundamento do tema.

 São eles:

  • • As atividades extracurriculares, tais como exposições de obras de arte, de esculturas, apresentação de canto, de coral, são extremamente valorizadas. Abertas ao público interno e externo, elas acontecem no hall do Edifício João Calvino, onde se encontra a administração da Universidade – um espaço nobre, poderiam ser mais divulgadas, a fim de que a UATU/UPM pudesse ser compreendida não como uma universidade para a terceira idade, mas sim como ela realmente é: uma Universidade Aberta a toda a comunidade;
  • •O coral da UATU/UPM se apresenta em vários eventos, inclusive em outros países.
  • •Há um crescimento do programa: o número atual de alunos é superior a quinhentos.
  • •Os espaços oferecidos às necessidades dos alunos hoje é privilegiado, oferece salas amplas, equipadas e acessibilidade adequada, com rampas e elevadores. A criação de um espaço no qual o programa pudesse ser expandido, não só dentro da universidade, mas em outros espaços e instituições, mostraria o quanto nós estaríamos contribuindo para a qualidade de vida da pessoa idosa, sendo exemplo para outras instituições reproduzirem o modelo que nós estamos ainda elaborando. Ao potencializar a divulgação desse programa, iríamos ao encontro do compromisso social estabelecido pelos princípios e valores da universidade comunitária confessional, como já foi observado.
  • •O ambiente de convívio proporcionado pelo programa – onde as pessoas se sentem valorizadas e não excluídas, conhecem pessoas novas, fazem e constroem novas amizades, se identificam com novos objetivos, acabam formando outros grupos – vai reproduzir situações que melhoram sua qualidade de vida e os ajuda a ver mais sentido na vida.
  • •A educação continuada é importante em todas as áreas do cotidiano, quer seja na administração da sua própria casa, na decoração, quer seja nas necessidades diárias para garantir ou prolongar sua vida. Para isso sugerimos a oferta de cursos de administração – opção identificada entre a preferência dos alunos –, pois este seria um beneficio e uma oportunidade para que pudessem aprender, ou reaprender, a organizar-se financeiramente ou mesmo aprender a se prepararem para a aposentadoria, a fim de que seus recursos pudessem se multiplicar. Cursos de raciocínio lógico, finanças, bem como o uso variado das redes sociais, em especial a criação de blogs, também são importantes e podem, ao mesmo tempo, divulgar o programa e alimentar a alma dos indivíduos com a criatividade, inovação e novos desafios, ou até, quem sabe, ser uma nova fonte de renda, já que os cursos acima fazem parte do nosso dia a dia, da nossa vida. Outra sugestão identificada entre a preferência dos alunos seria a oferta do curso de jornalismo, como sugerido por uma das entrevistadas. Para muitos – ou por serem idosos e muitas vezes não compreenderem o significado da notícia, ou por serem jovens e não terem o tempo necessário à dedicação das leituras jornalísticas –, esse curso pode ser uma fonte de informação valorizada.
    • A linguagem utilizada nos resumos para divulgação dos cursos a serem ofertados poderiam ser descritos de forma mais clara, objetiva e explicativa, para que sejam de fácil compreensão por todos os interessados.
    • Há uma discrepância entre as disciplinas oferecidas e as disciplinas da preferência apontadas pelos alunos.

Em síntese, muito ainda tem a ser feito pelo e para os alunos do programa da UATU/UPM, especialmente por fazerem parte de uma heterogeneidade.

Considerando a transição demográfica para os próximos 20 anos, observam-se as oportunidades que se abrem. As reformas e inovações conduzem à necessidade de se seguir um padrão mínimo para que a UATU/UPM se torne nacional e internacionalmente (re)conhecida.

            Inovações como as propostas e implantadas por alguns professores do programa, cujas experiências foram bem-sucedidas, podem servir para reforçar mudanças e comportamentos inovadores na instituição como um todo, servindo como modelo e fidelizando os alunos.

Espaços junto aos jovens graduandos, sem especificidade de cursos, também seriam uma opção de inovação para que a troca de experiências fosse realmente compartilhada entre todos os alunos mackenzistas. Afinal, com tantas experiências e vivências por parte de alguns idosos, as aulas podem ser alimentadas ou complementadas com relatos de pessoas que vivenciaram os fatos in loco.

O grupo de estudos que “atua” em paralelo às aulas da UATU/UPM, composto por alunos interessados em ampliar e reforçar seus conhecimentos com os conhecimentos dos professores, podem receber auxílio e atenção para que esses encontros sejam registrados por meio de artigos, publicação de livros ou mesmo compartilhados com outros alunos da universidade.

Observa-se a necessidade de potencializar a comunicação dos cursos, das disciplinas e oficinas da UATU/UPM, mesmo no âmbito interno da universidade, para que haja um aumento significativo na divulgação do programa e este passar automaticamente a conquistar o interesse de novos professores, inovando-se constantemente.

Atividades de extensão, para que todos os alunos do programa possam participar de outras atividades extracurriculares. Atividades como o “I Encontro de Criatividade na Arte, na Ciência e no Cotidiano”, realizado durante o segundo semestre de 2012, podem ser adaptadas e incluídas como parte integrante do currículo do programa.

Inovação e criação são os fatores necessários e indispensáveis para que a universidade, seja ela qual for, especialmente aquela que se dedica a atender a comunidade e tem sua missão voltada à educação, se torne excelência na área, exemplo para as demais, continue crescendo e especialmente continue atendendo à população de idosos que vem aumentando a olhos vistos, ano após ano, no país e no mundo.

Como já foi observado, o estudo aponta um aumento significativo da população idosa, especialmente no bairro Higienópolis, no qual a universidade se encontra, considerado um dos bairros mais nobres da cidade de São Paulo. Com isso a UATU/UPM pode apresentar-se e destacar-se, ampliando seu leque de atuação de forma a superar e servir como exemplo às demais universidades do país e – quem sabe – do mundo.

O programa da UATU/UPM pode ser um exemplo a ser seguido e ser reconhecido mundialmente por sua excelência; pode ser motivo e exemplo a ser utilizado nas mudanças das políticas públicas, na legislação e nas convenções destinadas ao atendimento de idosos. As pessoas responsáveis por ele devem agir de forma ágil, para que não se perca e conquiste novas riquezas humanas e com elas partilhe e compartilhe os conhecimentos produzidos na universidade.

            Por se tratar de um tema complexo, o fenômeno da maturidade, que envolve várias áreas do conhecimento, deve ser estudado com os olhares voltados aos estudos interdisciplinares.

Referências Bibliográficas

DEBERT, G. Guita. A antropologia e o estudo dos grupos e das categorias de idade. In: BARROS, M. M. L. de. (Org.). Velhice ou terceira idade? Rio de Janeiro: FGV, 1998.

LEME, L. E. G. O envelhecimento: mitos e verdades. São Paulo: Contexto, 1997.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 17 ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

NÉRI, Anita L. Desenvolvimento e Envelhecimento: perspectivas biológicas e sociológicas. 3ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2001.



[1] Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2012). Participante do Grupo de Pesquisa “Criatividade na Arte, na Ciência e no Cotidiano”. Bacharel em Administração Hospitalar pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS (2008). edisartor@hotmail.com

 

[2] Artigo Educação e gerontologia: desafios e oportunidades. RBCEH – Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, Passo Fundo, 99-115 – jan./jun.2004.

admin
EnglishFrenchPortuguese